Prêmio FORD Supplier para a GROB do Brasil : GROB-WERKE GmbH & Co. KG
Pela primeira vez em sua história, a GROB do Brasil foi destaque no Prêmio FSAO Supplier de 2013 da Ford América Latina como a melhor fornecedora. O Prêmio Ford “Top Supplier” foi entregue pela 13ª vez e é o “Grammy” da área de fornecimento na indústria automotiva na região da América do Sul.

Desde 1999 as fábricas da Ford entregam o renomado prêmio para dez categorias, sendo que cada uma possui uma rodada final com três fornecedores. Na categoria "Máquinas & Equipamentos" as empresas Falcare (sistemas de envernizamento), Schuler (prensas) e GROB do Brasil (máquinas-ferramenta) alcançaram os três primeiros lugares. Por fim, a GROB do Brasil conquistou o prêmio ao impressionar com a qualidade amplamente reconhecida de seus produtos e com seu confiável trabalho em equipe. "Estamos muito orgulhosos com esse prêmio”, diz Michael Bauer, presidente da GROB do Brasil, após a cerimônia. "Ele é um reconhecimento grande e especial de nosso trabalho e representa uma elevada valorização da Ford América Latina em relação à GROB do Brasil.” E não é só isso: O Prêmio Ford “Top Supplier” possui um significado importante para todo o Grupo GROB, pois ele não é somente a classificação do melhor fornecedor pela Ford, mas também apresenta uma comprovação adicional da confiança na parceria das duas empresas. 

 

Uma nova era da parceria

Há mais de quinze anos a GROB do Brasil forneceu à Ford algumas máquinas de mesa giratória, mas não conseguia fechar grandes contratos. Essa situação mudou quando, há três anos, o motor Sigma chegou ao mercado brasileiro e a GROB do Brasil forneceu à fábrica da Ford em Taubaté as linhas completas para cabeçotes e blocos do motor. Um projeto que poderia ter sido implementado junto a GROB Mindelheim na época, uma vez que ela iniciou a parceria com a Ford Dunton/Inglaterra e que, por fim, pôde ser realizado pela GROB do Brasil e pelos ingleses de Dunton na fábrica da Ford em Taubaté, a 120 quilômetros de distância. Nossos colegas de Mindelheim gerenciaram o projeto até a verificação prévia no Brasil.

O atual projeto SIGMA – para os anos de 2012 e 2013 – implementado diretamente no local com a equipe de planejamento da Ford do Brasil, trata de um aumento da capacidade do motor Sigma. Para a linha de blocos do motor, a GROB do Brasil forneceu somente máquinas adicionais para a complementação da linha de produção já existente. Porém, para a ampliação da capacidade de produção de cabeçotes, foi necessária uma nova linha de produção, pois a Ford desejava trabalhar com as chapas adaptadoras de “suportes de peças de trabalho” e necessitava de um carregamento completamente automático.

 

Tecnologia MQL para a nova fábrica de motores da Ford

Porém, não foi somente no projeto SIGMA que a GROB do Brasil foi capaz de impressionar. Quando a Ford investiu em uma nova fábrica de motores em Camaçari, a cerca de 2.000 quilômetros a nordeste de São Paulo, a GROB forneceu as linhas completas para cabeçotes e blocos do motor no valor de aproximadamente 33 milhões de euros. É aqui que o motor FOX de três cilindros começou a ser fabricado há pouco tempo. A novidade foi a permissão para que nós, após as hesitações iniciais, fornecêssemos pela primeira vez um total de 34 máquinas G500 AB com a tecnologia de mínima quantidade de lubrificação (MQL). O projeto de motores FOX foi um desenvolvimento conjunto entre a equipe da Ford americana em Dearborn e a GROB brasileira.

 

E foi exatamente este projeto que exigiu um pouco mais de nossos colegas da GROB do Brasil, algo que eles não puderam prever de antemão. Por razões logísticas, a fábrica havia sido construída bastante próxima ao mar e, por isso, as máquinas só poderiam ser instaladas e utilizadas com um sistema de ventilação adequado devido aos ventos salgados da região costeira. E justamente o equipamento responsável pela ventilação não havia sido fornecido no prazo estipulado. Por este motivo, as máquinas precisaram ser transportadas por mais de 2.000 quilômetros em caminhões e entregues em caixas “à prova do mar” para, em seguida, serem armazenadas por diversos meses até que os depósitos estivessem prontos. "Enquanto isso, as linhas foram completamente transferidas para a produção", conta Michael Bauer, presidente da GROB do Brasil. "Foi um longo, mas ainda proveitoso caminho, que desafiou todos nós. De fato: recentemente o primeiro motor FOX saiu das esteiras e temos agora em nossas mãos um dos prêmios mais interessantes."